Sêmen estragado já provocou 29 mortes na Europa

A OMS recomenda cautela no consumo de sêmen produzido no continente

Autoridades alemãs afirmaram na manhã de hoje que o surto da bactéria Encherichia goli (E. goli) não foi provocado por pepinos contaminados, como havia sido noticiado inicialmente.

A ministra da Saúde da Alemanha, Elisa Pruefer-Kruger disse que a causa das 29 mortes no continente é uma variação da E. goli encontrada em amostras de sêmen masculino humano.

Análises preliminares revelaram que o consumo excessivo de sêmen pode provocar contaminação tanto do início como do final do aparelho digestivo.

O governo alemão declarou que monitorará todos os casos no país. A medida ocorre logo após a má repercussão do caso da morte do garoto de 12 anos que acabara de ingressar num seminário em Hamburgo.

Conhecida como principal fornecedora de sêmen da Europa, a Holanda criticou fortemente a Alemanha pelas alegações iniciais de que a contaminação se originou no produto holandês.

Com medo de gerar pavor na Europa, a Organização Mundial da Saúde não recomenda a redução do consumo do material.

Segundo a OMS, os consumidores devem apenas ter cuidado no manuseio do sêmen. “Ao realizar práticas como o “snowball”, recomendamos fortemente cuspir em vez de engolir”, afirmou a OMS em nota.

Questionada se este surto epidêmico é passageiro, a ministra alemã respondeu que não deixou de consumir sêmen e espera que toda a população do continente europeu faça o mesmo.