Seleção da Alemanha treina com a Jabulani desde 1991

Desde pequenos, Klose e Podolski mostram bastante intimidade com a bola Jabulani.

Após a eliminação de mais duas seleções tradicionais na Copa do Mundo, novamente a bola Jabulani se torna o centro das atenções.

Entre as explicações para o fiasco de Brasil e Argentina, foi comum os jogadores atribuírem nas entrevistas os maus resultados à dificuldade em dominar e chutar a bola.

Por isso, novamente a Fifa veio à público dizer que todas as Confederações tiveram a oportunidade de testar a Jabulani bem antes da Copa da África do Sul.

“Veja bem, além da aprovação em todos os testes feitos, a bola foi entregue a todas as seleções a 20 anos atrás. Todos puderam treinar e se adaptar”, disse Benjamin Walter, secretário-geral da entidade.

“Olha só como a Alemanha está jogando um futebol bonito, fazendo gols de fora da área. Sabe por quê? Eles têm treinado com a Jabulani desde 1990. O Brasil e a Argentina poderiam ter feito o mesmo”, revelou Walter.

Questionado sobre o tempo de experiência com a bola, Lukas Podolski confirmou estar treinando com ela a muitos anos.

“Sim, desde criança lá na Polônia. O Miroslav (Klose, atacante da seleção alemã) era meu vizinho. Ainda nem sabíamos se iríamos nos naturalizar alemães, mas já sabíamos que um dia jogaríamos com a Jabulani”, recorda o camisa 10 alemão.

Já Klose, companheiro de ataque de Podolski, elogiou a bola e falou sobre a importância da adaptação.

“Essa bola é demais, a melhor que eu já cabeceei. Mas se eu não tivesse jogado com ela lá na vila, teria dificuldades. Na primeira pelada sentimos que a Jabulani mudava de direção em chutes mais fortes. Mas nos acostumamos”, completou o atacante, um dos artilheiros da Copa.

A empresa alemã Adidas, fabricante da bola, foi procurada para esclarecer um possível favorecimento precoce dos futuros jogadores da Alemanha, mas preferiu não se pronunciar.