Repórter da Globo junta-se a mineiros soterrados no Chile

Após a chegada de Paglia, o governo chileno agora resgatará 34 pessoas.

Na medida em que os trabalhos de resgate dos mineiros aprisionados no Chile avança, um novo elemento surge para tornar o caso ainda mais dramático.

Isolados há cerca de dois meses a 700 metros de profundidade, os chilenos contam agora com a companhia do repórter Ernesto Paglia, da TV Globo.

Paglia ficou preso entre os mineiros chilenos após conseguir entrar na caverna para tentar fazer uma reportagem exclusiva para o programa Fantástico.

O repórter da Globo teria invadido o local de madrugada, quando um dos operadores das máquinas perfuradoras usadas no resgate estava tirando uma soneca.

O governo chileno confirmou por meio de nota que o número de pessoas que serão resgatadas passou de 33 para 34.

“Pedimos a todos os jornalistas da América Latina que não venham à área do resgate”, declarou Eduardo Lucas, ministro do interior do Chile. “Se mais alguém entrar na mina sem autorização, vamos deixar lá embaixo mesmo”.

Na operação de resgate subterrâneo mais complexa já realizada no mundo, Ernesto Paglia já estaria se entrosando com os mineiros chilenos. Para conquistar a amizade dos companheiros, ele estaria fazendo demonstrações diárias de futebol brasileiro.

Segundo o jornal “El Durazno”, ele goza de boas condições de saúde, mas estaria passando fome após quase 20 horas de confinamento.

“Por favor, mandem comida pra mim também. Sandra, estou bem”, escreveu o repórter em um bilhete entregue pela estreita passagem superior da mina.

O recado enviado por Paglia para sua esposa, a também jornalista Sandra Annenberg, emocionou a imprensa internacional.

“Tenho certeza que ele sairá bem dessa. Lá em casa está tudo bem”, comentou ela na edição de ontem do Jornal Hoje. “Infelizmente não vou poder dar atenção a esse caso enquanto as Eleições não terminarem”, justificou.

Procurada por nossa reportagem, a Rede Globo informou por meio de sua assessoria que enviou o apresentador Tadeu Schmidt ao Chile, para que ele faça uma cobertura mais descontraída do caso.