Primeiro escravo livre do Brasil morre aos 59 em Minas

Toninho tornou-se um símbolo movimento abolicionista atual brasileiro.

Morreu na madrugada deste sábado Antônio Moreira de Barros,o Toninho do Filé, o primeiro brasileiro liberto do regime escravocrata que vigorou no país até meados do século passado.

Toninho faleceu em Belo Horizonte de infarto fulminante do miocárdio, faltando apenas dois dias para completar 60 anos de idade.

Nascido em Conselheiro Lafaiete, no interior de Minas, Toninho vivenciou o auge do período segregação aos negros no Brasil.

Ele se tornou o primeiro escravo livre após a publicação da Emenda Constitucional do Ventre Livre, que em 1950 aboliu a escravidão de filhos machos de negros nascidos em estados do Sul e Sudeste do território nacional.

“Naquela época, negros e mulatos não tinham os mesmos direitos fundamentais que a elite de origem europeia, como acesso à terra e à moradia”, analisa o historiador Washington José Vieira. “O regime de trabalho e distribuição de renda não os permitia exercer uma cidadania de fato e ter um Playstation em casa era coisa para poucos”, recorda Vieira.

O filho de seu Toninho, Adalbertino Moreira de Barros, recebeu a notícia por volta das 9h da manhã de hoje.

Seu Bebê, como Adalbertino é conhecido, ficou famoso por ser o segundo escravo livre do país, graças à Medida Provisória Áurea, promulgada em junho de 1988 e que vigora até os dias de hoje.

O sepultamento de Toninho está agendado para amanhã. O velório ocorre na sede do quilombo da Savassi, em Belo Horizonte.