Prefeitura pede educação aos corintianos no Pacaembu

Por meio de ofício, a Prefeitura de São Paulo solicitou respeito ao patrimônio da cidade.

A Prefeitura de São Paulo preferiu não correr o risco desta vez. Segundo o assessor de imprensa da Prefeitura, foi enviado hoje à tarde, 5 de maio, um ofício assinado pelo prefeito Gilberto Kassab, alertando a direção do Corinthians de que, caso o time venha a ser desclassificado da Copa Libertadores, não será tolerada uma nova tentativa de invasão de campo como a ocorrida em 2006, quando o time do Parque São Jorge foi eliminado em casa pelo River Plate da Argentina.

Segundo o ofício, que o Diário de Barrelas teve acesso com exclusividade, “tendo em vista a repercussão da triste desclassificação do Sport Club Corinthians Paulista no ano de 2006, e sempre zelando pela segurança dos seus cidadãos, bem como no intuito de preservar o próprio da municipalidade, vimos respeitosamente alertar para que o clube tome medidas educacionais junto à sua numerosa torcida, para que cenas como a de 4 de maio de 2006 não voltem a acontecer na noite de hoje”, alerta o documento. “Caso o incidente volte a acontecer, nos veremos obrigados a negar os futuros pedidos do clube para manifestar seu direito de mandatário de jogos no estádio do Pacaembu.”

Curiosidades a parte, ontem foi comemorado o quarto aniversário do incidente que ficou conhecido entre os corintianos como a “Tragédia do Pacaembu”, que entre outras torcidas virou hino com “foi um River que passou em minha vida, e que me deixou assim.”

Apesar da linguagem jurídica, fica claro que a Prefeitura não permitirá mais que o Corinthians mande seus jogos no Pacaembu, caso o clube seja desclassificado e a torcida novamente se revolte por nunca ter chegado ao título de uma Copa Libertadores. “Nós sabemos que este é o Ano do Centenário do Corinthians e que esse título é muito importante para a torcida, por isso tememos pelo pior”, afirmou Antonio de Souza Paula, diretor operacional do complexo do Pacaembu. “Nosso estádio é tombado pelo Patrimônio Histórico e não pode correr o risco de depredações e vandalismo dessa maneira. O Pacaembu acaba de completar 70 anos. É um senhor bem conservado, e nós esperamos que ele continue assim por muitos e muitos anos”, completou.

Já para o presidente do Corinthians Andrés Sanchez, o ofício foi recebido com surpresa. “Nós temos uma ótima relação com a administração do estádio. Não esperava que essa questão fosse tratada desta maneira, como se estivéssemos sendo ameaçados”, afirmou. “Se o Paulinha (Antônio de Souza Paula) quiser levar a coisa pra esse lado, eu prefiro mandar os jogos do Corinthians na Rua Javari, que também é Zona Leste, ou até mesmo voltar a lotar o Morumbi. Afinal de contas, como costumam dizer, SPFC significa Salão Para Festas do Corinthians”, ironizou Sanchez.

Mesmo contrariado, Sanchez pediu para que cópias do ofício, com um glossário dos termos jurídicos, fossem distribuídas nas sedes das torcidas organizadas. “Eu não sei por que eles escrevem desse jeito, que leva duas horas até você entender o que eles estão dizendo. Eu, que paguei três faculdades e um doutorado em Harvard, precisei de ajuda do meu departamento jurídico, imagina o torcedor”, lamentou o presidente.

Este mesmo ofício foi encaminhado também para a Secretaria de Segurança Pública, pedindo reforço no policiamento. “Não podemos ser pegos de surpresa como ocorreu naquele jogo contra o River Plate”, comentou o Coronel Marinho, responsável pelo policiamento do evento. “Nosso efetivo será redobrado para o jogo de hoje à noite.”