Prefeitura de SP prepara Arca para sobreviventes das enchentes

Na manhã de hoje, Gilberto Kassab vistoriou as obras de construção da nova Arca destinada a sobreviventes de enchentes em São Paulo. Acompanhado de seu secretário adjunto de chuvas e afins, o prefeito ficou satisfeito com os avanços na nova embarcação.

Kassab aprovou as primeiras Arcas para a temporada 2011 de chuvas em São Paulo.

Em construção desde de outubro, a primeira Arca construída pela Prefeitura de São Paulo ficará à disposição da população da cidade no início do mês de fevereiro. O bairro contemplado com a novidade será indicado pela Secretaria de Chuvas e Afins, com base no seu mapeamento de enchentes.

Após décadas de falhas tentativas de conter a força das águas com piscinões, a Prefeitura agora pretende dar abrigo aos cidadãos afetados pelas enchentes.

“Sejamos honestos, todo ano investimos alguns milhões de reais em piscinões e o problema sempre persiste. Estava na hora de uma mudança de direção, fazer algo novo!”, exclamou o secretário adjunto de chuvas e afins, Omar Gomes Albuquerque.

Segundo ele, na temporada de chuvas de 2012, São Paulo contará com 14 Arcas espalhadas pela cidade, todas estrategicamente posicionadas em bairros que sofrem com enchentes a mais de 30 anos. As embarcações serão construídas com tecnologia original, baseada em escritos de Noé.

Assim que os dilúvios de 2011 começarem, cada rua da cidade deverá definir um casal sobrevivente para subir na embarcação. Estes casais serão responsáveis por repopular a capital paulista no final de março, quando as chuvas cessarem.

“Cada arca pode abrigar até 350 famílias, é bastante gente. É muito melhor essas pessoas viverem em uma embarcação dessas, próximas de seu bairro do que em um ginásio sem estrutura. E o custo é bem menor em relação ao piscinão, que não funciona”, explicou o secretário.

Essa mudança de postura se deu à percepção de que os problemas gerados pelas chuvas são inevitáveis e a população precisa ser melhor atendida. “Se não pode vencer as enchentes, então junte-se a elas”, completou Albuquerque