Policia Científica prende infratores da Lei de Newton

Em mega operação, infratores das leis da física são presos

A Polícia Cientifica realiza desde o início da tarde desta quarta-feira uma operação do bairro do Capão Redondo, onde 4 suspeitos foram presos.

Batizada de Operação Gravitação, a ação consite em uma blitz nas ruas do bairro para desmantelar uma quadrilha que estaria burlando alguns dogmas da Física, incluindo duas das leis de Newton.

Uma viatura da polícia científica, que fazia uma ronda de rotina pelo bairro, flagrou três indivíduos em atitude suspeita, um deles menor de idade ainda cursando o Ensino Médio.

Segundo o tenente João Machado Kepler, os rapazes conversavam em um beco escuro por volta das 4 horas da manhã quando, ao notarem a aproximação da viatura, correram em direção ao muro de uma casa próxima.

“Achamos a atitude dos elementos altamente suspeita. A súbita movimentação dos mesmos foi contrária a 1ª Lei de Newton que obriga que todo corpo que esteja em repouso, tenda a permanecer em seu estado inicial”, explicou o tenente.

Os rapazes foram levados ao 36º DP. Na delegacia, prestaram depoimento e foram liberados após alegarem que “a influência de fatores externos alterou o estado de repouso de seus corpos”.

Este não é o primeiro caso desta natureza ocorrido na região. No início do ano, a polícia prendeu em flagrante, um homem que tentava se jogar de um prédio de 4 andares, autuando-o no artigo 331 do código penal, por “Desacato à Lei da Gravidade”.

“O aumento deste tipo de crime é apenas mais uma conseqüência da desigualdade social que afeta nosso país. As crianças da periferia não recebem das escolas uma educação de qualidade que as oriente quanto ao cumprimento da legislação científica vigente. Para elas, descumprir tais regras é algo natural.”, acrescenta Aquiles Sarajevo, advogado especialista em leis da natureza.

De janeiro a setembro de 2010 já foram registrados 35 casos só na região. Um aumento de 87% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os moradores estão assustados e evitam falar sobre o assunto.