Novas cédulas do Real homenageam líderes da Ditadura

O Banco Central e a Casa da Moeda divulgou hoje em Brasília a identidade visual das novas cédulas de Real que entram em circulação no final deste ano.

Em uma audiência pública, fechada, criação do estúdio AME-OU foi a escolhida. O projeto conta com a representação dos generais da ditadura no lugar das já extintas espécies de animais que estampavam o Real desde o milênio passado. Assim, evita-se uma desvalorização da moeda a longo prazo por conter imagens de espécies já dizimadas.

“É, não tem motivo deixar animais que já nem existem mais no nosso dinheiro. O ideal é termos ícones relevantes impressos” diz Arialdo Taunnay, membro da comissão do governo. “E digo mais, a dívida externa, o caos fiscal, obra dos nossos generais, tem muito mais a ver com a história econômica do Brasil do que uma garoupa ou uma onça pintada.” completa.

A novas cédulas terão imagens dos presidentes que comandaram o Brasil de 1964 a 1984.

Em uma enquete rápida pelas ruas de Barrelas, pode-se a aceitação da medida e até um saudosismo da população em geral. “Poxa, vai ser interessante para o meu filho poder ver o rosto de Castelo Branco, que dá nome aquela estrada de Alphaville.” comenta Rose Furtado.

“Eu acho que é uma reparação moral com as famílias dos generais que acumularam fortunas durante a ditadura e hoje são investidoras no mercado financeiro do Brasil, puxando o desenvolvimento econômico da nação. É mais do que justa esta homenagem.” comemora o Julio Simonal, advogado das famílias acusadas de enriquecimento ílicito na épocada ditadura.

Além da nova temática, a cédula de 5 reais passará por uma reforma mais profunda. Serão impressas as letras A e I antes do algarismo 5, representado o valor da nota. Assim, junto da estampa do rosto do presidente Costa e Silva, será representada uma homenagem ao ato inconstitucional AI-5 de 1968.

As novas cédulas entrarão em circulação em 2011, mas o Banco Central garante ao comerciante que estiver com o caixa na cédula antiga ao final de 2010, poder negociar e dar o troco na ditadura em 2011.