Kim Jong-il autoriza execução de goleiro da Coreia do Norte

Para o ditador da Coreia do Norte, o goleiro poderia ter evitado os gols de Maicon e Elano.

O ditador norte-coreano Kim Jong-il assinou na manhã de hoje a execução de Ri Myong-Guk, goleiro titular da Coreia do Norte na Copa do Mundo.

Segundo o ditador, Ri Myong-Guk foi o principal responsável pela derrota de seu país para o Brasil por 2 a 1 em Joanesburgo na tarde de ontem.

Apesar da imprensa internacional ter elogiado a atuação do goleiro, e afirmar que ele evitou que o Brasil fizesse mais gols, Kim Jong-il ignorou os comentários e colocou toda a culpa em Ri Myong-Guk.

Conhecido pelo seu desequilíbrio de temperamento, Kim Jong-il teria ficado enfurecido com a derrota para o Brasil e por causa disso também movimentou mais alguns tanques para a fronteira com a Coreia do Sul.

“Ele falhou no primeiro gol”, declarou Ki Pong-kil, porta-voz do governo norte-coreano. “O mundo todo viu que o Maicon quis cruzar aquela bola e que não chutou para o gol. A defesa era fácil”, analisou.

A ordem de execução parece já ter refletido no clima da concentração da Coreia do Norte, que ficou bastante tenso. Ji Yun-Nam, meio de campo da equipe, teria ido à concentração de Portugal, implorar por uma colher de chá de seus próximos adversários na Copa.

Ri Myong-Guk já não atuará contra Portugal e será recebido pessoalmente por Kim Jong-il quando voltar a pisar no solo da Coreia do Norte.