Jogadores do Corinthians invadem sede da Gaviões da Fiel para protestar

Na manhã desta quinta-feira, dois dias após a divulgação dos resultados do Carnaval de São Paulo, cerca de 15 integrantes do time de futebol profissional do Corinthians invadiram a quadra da Gaviões da Fiel.

Entoando gritos como “Não é mole não / tão (sic) de piada com Alegoria e Evolução”, os jogadores protestavam devido à décima colocação de sua torcida na última edição do Desfile das Escolas de Samba de São Paulo e cobravam providências.

“Nosotros solo queremos que honren la fantasía en el sambódromo”, declarou P.G., que pediu para não ser identificado. “Ou samba por amor, ou samba por terror”, completou um de seus companheiros que se identificou somente como Romarino.

Facção do elenco alvi-negro cobra mudanças na torcida após resultado ruim no Carnaval

A Delegacia de Proteção a União das Torcidas Organizadas (DPUTO), que investiga o caso, informou por nota que o líder da invasão, conhecido como Edu, já estava presente em antigos atos de violência, como a barbárie de 1999, quando as embaixadinhas do meliante Edilson Capetinha desencadearam algumas das cenas mais brutais já vistas nos campos brasileiros.

A diretoria da Gaviões declarou somente que está colaborando com o Ministério Público no projeto que visa extinguir os times de futebol profissional.

A diretoria do Corinthians preferiu não se pronunciar.

Renato Augusto, mais uma vez recuperando-se de lesão e ainda sem ritmo de protesto, não foi se quer relacionado.