Ferrero Rocher também é questionado por não conter Ferrero

Com as plantações de ferrero prejudicadas, os fabricantes passaram a usar avelã na receita do bombom.

Depois do Ministério Público notificar a Nestlé por vender a bebida láctea Alpino Fast sem conter um único vestígio de bombom Alpino, agora foi a vez do Procon trazer à tona mais um caso triste da venda de gato por lebre no ramo dos chocolates. Segundo Dulce Maria Arruda, diretora do Procon, uma análise feita no bombom Ferrero Rocher apontou que a guloseima não possui um único traço sequer do fruto Ferrerus Rochenicus, nome científico da fruta que dá nome ao bombom fino.

O Ferrerus Rochenicus é um arbusto muito famoso na pequena cidade de Callunia, no sul da Espanha, mas nos últimos anos a produção do fruto foi prejudicada por uma praga que dizimou as plantações. “Foi como se um vendaval passasse por aqui e espalhasse essa doença que matou todas as árvores”, lamentou María Juan Riveras, proprietária de uma fazenda de Ferrerus Rochenicus.

A doença citada por María é a Laricosas Pragmática, que mata a plantas, começando pelas folhas até chegar à raiz. “A Larica – nome popular da praga – chegou de repente e praticamente dizimou nossos Ferreros”, afirma um outro fazendeiro, que hoje se dedica à plantação de ervas medicinais.

Enquanto isso, no resto do mundo, o bombom Ferrero Rocher tem se adaptado à falta do seu principal fruto com a substituição por avelãs, que são semelhantes ao Ferrero. “A aparência e textura são similares, mas o gosto é bem diferente”, diz Alberto Luiz Estevão, especialista em doces do Procon. “É quase como se alguém lhe oferecesse ervilhas com bastante sal, dizendo que são alcaparras”, revela Estevão.

Para os fãs do chocolate, no entanto, essa parece ser uma discussão inútil. “Eu acho que nunca experimentei um Ferrero original”, lamenta a consumidora Silvia Corsi Silva. “Adoraria saber qual é o gosto, mas pra dizer a verdade, eu acho o chocolate muito bom na forma como ele é”, avalia.

Por meio de uma nota à imprensa, a Ferrero Corporation, fabricante mundial do chocolate, diz que estuda mudanças no nome do produto, adequando-o para Avelã Rocher.