Dilma propõe correção geográfica na Baixada Santista

Dilma Housseff esclareceu a confusão sobre as Baixadas Santista e Fluminense.

Em entrevista ao “Jornal Nacional” da Rede Globo, a candidata à Presidência Dilma Rousseff revelou que as duas principais Baixadas do país terão uma atenção especial caso seja eleita.

Antes mesmo de obras estruturais na região das Baixadas Fluminense e Santista, sua equipe tratará de um problema histórico.

Ao falar da Baixada Santista localizada no litoral fluminense, Dilma provocou estranheza em grande parte da audiência. Por isso, a candidata voltou a público para explicar o mal-entendido.

“Para quem não sabe, nosso país está repleto de equívocos geográficos. Assim como recentemente fizemos uma reforma na Língua Portuguesa, o meu governo também fará uma reforma geográfica. Todos se enganam em pensar que a Baixada Santista é em São Paulo por estar próxima de Santos”, explicou Dilma.

Segundo a candidata, quando o país era dividido por Capitanias Hereditárias e os Estados ainda não estavam formados, a Baixada Fluminense se situava onde hoje se localiza a costa paulistana. Anos depois, após o fim do conflito luso-espanhol, e a fundação de São Paulo e Rio de Janeiro, notou-se a incompatibilidade dos nomes.

Então, optou-se pela maneira mais simples, as denominações foram invertidas.

“Isso é um erro histórico e eu vou corrigir. Depois falam eu sou grossa. Como eu disse, uma governante é como uma mãe de família, sempre incompreendida”, completou ela.

O plano de governo de Dilma dedica 2 capítulos à questão geográfica, sendo que 40 páginas descrevem apenas as ações nas Baixadas, incluindo uma inovadora proposta de fusão de toda a região.

“Eu falei com o Lula e ele adorou a minha ideia de fusão das Baixadas”, comentou Dilma. “Quero governar para uma única Baixada, desde o Espírito Santo até o Estreito de Cananéia!”, concluiu.