Desemprego atinge 92% das crianças no país, diz pesquisa

Apenas 8% dos brasileiros de 5 a 13 anos estão no mercado de trabalho

A taxa de desemprego infantil avançou para 92% nas principais regiões metropolitanas do Brasil, informou nesta quinta-feira o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Segundo levantamento, em Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre apenas 900 mil trabalhadores de 5 a 13 anos estão empregados no país.

Os dados do IPEA revelam que o contingente de crianças desocupadas cresceu 2,5% em relação a fevereiro do ano passado. Este crescimento é ainda maior se consideradas as crianças empregadas com carteira assinada no setor privado.

A pesquisa aponta o dever de casa e as brincadeiras de rua como os principais empecilhos para que as crianças brasileiras procurem trabalho.

“É lamentável o que estamos fazendo com a infância de milhões de brasileiros”, comenta o economista Aníbal Castelo de Souza. “Devemos estimular a abertura de vagas em setores como agricultura e mineração para garantir a empregabilidade dessa gurizada”, defende.

Entre as medidas propostas pelo economista para a redução do desemprego infantil, está o incentivo à indústria.

“O governo federal deveria oferecer isenção fiscal aos fabricantes de tênis e artigos esportivos que hoje atuam na China”, explica Aníbal. “Assim, milhares de posições de trabalho seriam criadas para as crianças brasileiras”, justifica.

A pesquisa do IPEA não considerou os empregados na venda de balas no semáforo e pedidores de esmola.