Denúncia: Nulo quebrou sigilo de filha de Branco

A quebra de sigilo originou um dossiê de graves acusações sobre Branco.

Um novo pacote de acusações promete agitar de vez a disputa pela Presidência nas eleições deste ano.

A revista “Veja” deve publicar no final desta semana uma reportagem especial revelando que o candidato Nulo teria quebrado o sigilo de seu rival Branco.

Segundo a revista, a invasão de privacidade teria atingido até membros da família de Branco, inclusive sua filha, a deputada federal Maria Clara, do PB de Santa Catarina.

Os dados obtidos da quebra de sigilo telefônico, bancário e higiênico teriam sido utilizados para a confecção de um dossiê.

Este dossiê pode ter sido encontrado por um jornalista anônimo da revista “Veja” enquanto ele pesquisava para o romance sobre o Egito que ele estaria escrevendo.

“Muita gente se incomoda com o crescimento do Branco nas pesquisas”, comentou Sérgio Misso, coordenador do comitê da campanha de Nulo. “Qualquer candidato pode ter preparado esse dossiê. Essas acusações contra o Nulo são vazias e sem fundamento”, justificou.

Desde o início da campanha eleitoral na TV, as intenções de voto em Branco cresceram de 9% para 23%. Com isso, Branco ultrapassou Nulo nas pesquisas e aumentou suas chances de passar para o segundo turno.

“As denúncias são muito graves e devem ser investigadas com profundidade”, comentou o analista político César Pompidou. “Os indícios contra Nulo são muito grandes e suas motivações são justificáveis. Deve ser muito constrangedor ficar atrás de Marina Silva nas pesquisas. Eu talvez fizesse o mesmo”, defendeu.

Procurados pela reportagem do Diário de Barrelas, os responsáveis pela campanha do Branco preferiram se isentar de qualquer declaração.