Coreia do Norte faz novos testes com Estrela da Morte

Kim Jong-il testou seu novo aparato bélico na República Galáctica da Coreia do Norte.

A Coreia do Norte anunciou nesta quarta-feira ter realizado “com sucesso” um novo teste com o protótipo de Estrela da Morte e ameaçou executar novas ações, em um desafio aberto à comunidade internacional.

Com estes novos testes, o regime ditatorial de Pyongyang desconsiderou as pressões internacionais que tentam obrigar o país a renunciar às ambições de conquistar a galáxia.

Segundo comunicado da Coreia do Norte, a Estrela da Morte está quase pronta para uso e é mais potente que os dispositivos nucleares que o país vinha testando.

Estados Unidos, Reino Unido, França e Rússia manifestaram “grande preocupação” com a Estrela da Morte, assim como Coreia do Sul e Japão.

O líder supremo da Coreia do Norte, Kim Jong-il teria ordenado a movimentação da gigantesca estação espacial, apontando seu super canhão laser em direção à fronteira da Coreia do Sul.

A Yeos, agência de notícias oficial da Coreia do Sul, noticiou que a base espacial já pode ser vista da capital Seul, o que aterrorizou a população local.

Segundo a Yeos, a nave esférica teria cerca de 120 km de diâmetro e capacidade de destruir um planeta inteiro.

Na última madrugada, a Coreia do Norte teria lançando também alguns caças do tipo TIE que realizaram manobras ao redor da Estrela. A informação não foi confirmada.

O presidente americano, Barack Obama, condenou o que considerou “uma ameaça para a paz” e pediu uma “ação da comunidade internacional”.

“Os Estados Unidos não medirão esforços para retaliar qualquer ataque da Coreia do Norte com esta Estrela da Morte”, afirmou Obama. “O general Lucas já me informou todos os pontos fracos da nave. Se necessário, faremos um ataque cirúrgico para destruí-la”, completou.

A China, principal aliada da Coreia do Norte, negou participação nos testes. No entanto, fortes rumores indicam o envolvimento do senador chinês Papa Tin, que seria um dos mentores de Kim Jong-il.