Copa do Primeiro Mundo começa nesta sexta em Viena

A Espanha, que venceu a Copa do Terceiro Mundo, pode voltar a disputar o Mundial Premium em 2014.

Com o encerramento da Copa do Terceiro Mundo, os olhos do planeta voltam-se agora para a Áustria, onde ocorrerá a 32ª Copa do Mundo de Nações Desenvolvidas da Fifa Plus.

Na próxima sexta-feira, Noruega e Áustria fazem em Viena o clássico de abertura do evento mais refinado do mundo da bola.

“É evidente que não fazemos o maior evento de futebol do mundo, não é essa a intenção. Fazemos sim o melhor evento, somente com esportistas verdadeiramente de alto nível”, explicou Engelbert Mendel presidente da Fifa Plus.

Sem a visibilidade que a Copa do Mundo regular possui, a Copa do Primeiro Mundo é exibida em um circuito fechado de redes de TV, restrito apenas a países com Índice de Desenvolvimento Humano acima de 9,5.

“Talvez por isso você pode imaginar que o futebol dos países ricos não é evoluído”, comentou Mendel. “Mas no último Mundial do Canadá, a média de gols foi de 5,8 por partida e o público delirou com jogadas emocionantes e partidas vibrantes, coisa que você não encontra numa Copa normal”, detalhou.

Além de ser um evento de fato interessante, a Copa do Primeiro Mundo destaca-se pelo barulho de violinos na torcida e pelo uso extensivo de tecnologia para auxiliar a arbitragem.

“Com chips da bola e 5 árbitros em campo, os times jogam com a certeza de que não serão prejudicados”, explicou Erik Hamren, técnico da favorita Suécia. “Talvez isso explique por que nossos jogos sejam mais bonitos de se ver”.

Os participantes da Copa do Primeiro Mundo estão divididos em 2 seletos grupos de países ricos:

Grupo A
Islândia
Noruega
Canadá
Irlanda

Grupo AA
Suécia
Finlândia
Áustria
Bélgica

A Espanha, vencedora da Copa do Mundo dos Países em Desenvolvimento 2010, espera poder voltar ao torneio premium em 2014.

“Nosso país está se recuperando da crise e o desemprego vem caindo”, justificou Vicente Del Bosque, treinador espanhol. “Com a conquista de 2010, realmente espero que possamos voltar à Copa de verdade para escapar da Copa do Terceiro Mundo do Brasil”, declarou.