Chuva contribui para alta nos casos de “hoje vou trabalhar de casa” em SP

Poucos profissionais ainda não adotaram a prática de trabalhar em casa em dia de chuva.

O transporte público e o trânsito de São Paulo têm experimentado um fenômeno raro nos últimos tempos.

Basta chover um pouco mais forte e o índice de “home office” aumenta vertiginosamente em todos os escritórios da cidade, isso acaba tirando carros e pessoas das ruas, tornando assim o trânsito mais fluído e os ônibus e metrôs mais vazios.

Segundo o CET, a melhora no trânsito tem sido em torno de 20% nos dias de chuva.

“Eu não acho justo eu ter que sair na chuva só para ir trabalhar”, afirma Daniela Silva, jornalista que trabalha em uma empresa de assessoria de imprensa.

“Gastei um dinheirão no salão para fazer escova e não vou botar tudo por água abaixo só porque meus clientes precisam divulgar um press release. Fico no celular e trabalho de casa”, garante ela.

Para o contabilista João Malazartes o “golpe” do “home office” acaba custando caro. “Até meu motoboy decidiu fazer esse tal de “home office””, lamenta o empresário. “Precisava mandar um monte de documentos para o cartório, mas com o menino da moto trabalhando em “home office” vou ter que esperar até amanhã.” Segundo ele o prejuízo pode chegar a R$ 2 mil por dia perdido.

Por outro lado os defensores do “home office” se justificam. “Nós somos pessoas criativas, não precisamos estar dentro de um único ambiente para ter novas ideias.

É importante esse momento em que podemos intercalar um e-mail com um bloco de programa da Ana Maria Braga”, garante a analista de mídias digitais Helena Dias. “Além disso, se algum cliente precisar falar comigo é só deixar recado que eu ligo logo em seguida, assim que terminar aquela panela de brigadeiro quentinho.”

Aqueles que cumprem suas obrigações contratuais e comparecem no horário certo, faça chuva ou faça sol, acham ótimo quando as colegas adotam o “home office”.

“Fica bem mais fácil administrar o tempo com menos gente no escritório”, explica o gerente de RH, David Ezequiel. “A gente acaba tendo que atender ligações dos colegas, mas como temos alguns funcionários com tempo sobrando, isso é bom porque assim o tempo passa mais rápido”, garante.

A previsão do tempo garante que a chuva em São Paulo só dará uma trégua no final de semana, quando todos poderão enfim sair de suas casas: secos e confortáveis.