Casos de Acordei Passando Mal explodem durante a Copa

Segundo a OMS, a cada 4 anos o Brasil fica sujeito a epidemias de Acordei Passando Mal.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou nesta terça-feira um relatório que alerta para uma possível pandemia de Acordei Passando Mal nos países participantes da Copa do Mundo, incluindo o Brasil.

De acordo com a organização, foi detectado um aumento expressivo no número de casos da doença, especialmente no Brasil, onde o clima nesta época do ano se torna mais propício para a propagação da doença.

“Nossos dados são obtidos junto às empresas que nos relatam o estado de saúde de seus funcionários”, informou Robert Ellis Park, diretor da OMS para a saúde no trabalho. “Os casos de Acordei Passando Mal ainda não preocupam, mas é importante que as empresas brasileiras monitorem seus funcionários para evitar que a doença se espalhe por todo o país”, afirmou.

Infelizmente, ainda não foram descobertos as causas da doença, nem como ela é transmitida. Um dos principais problemas para tratá-la é que, após contrair Acordei Passando Mal, os infectados têm muita dificuldade de se comunicar e alguns até desligam seus celulares para que se sintam melhor.

No mesmo relatório, a OMS revela que o aumento de casos de Acordei Passando Mal está diretamente ligado a outras doenças como Minha Vó Morreu e Perdi O Ônibus, que também aumentaram durante a Copa.

“O problema no tratamento de Acordei Passando Mal é que os sintomas variam muito, o que dificulta a medicação”, declarou Park. “Nossa recomendação é que os pacientes infectados fiquem em casa durante o dia e que assistam um pouco de TV nos horários das 11h e 15h30, especialmente durante os meses de junho e julho”, orientou.