Black Blocos prometem tomar ruas de São Paulo no próximo fim de semana

Tradicionais no Rio de Janeiro, os black blocos estão virando mania também em São Paulo.

No próximo sábado, mais um black bloco deve invadir as ruas da Vila Madalena, com cerca de 4 mil integrantes, fechando algumas das principais vias de acesso ao bairro da zona oeste da capital.

Segundo a prefeitura, os blocos já vêm aquecendo os tambores desde o fim de semana passado, quando o primeiro black bloco marchou pela cidade.

No último domingo, o movimento teve início na frente do famoso Bar Mercearia do Pasmado, reduto de artistas da Tropicália, e seguiu pelas ruas da região. De acordo com a Polícia Militar, não houve tumulto.

O Bloco Black deve passar pelas ruas
Até o fechamento desta edição, os membros do Black Bloco não haviam revelado os motivos nem o percurso do desfile.

Sargento Pimenta, responsável pela segurança do local, afirmou que os integrantes do black bloco não tinham um propósito definido, apenas se aglomeravam de forma pacífica e festiva.

Apresentando sinais de embriaguez, a maioria dos integrantes usava máscaras pretas e entoava rimas em uníssono.

“Percebemos um comportamento mais agressivo por parte de alguns integrantes durante o movimento”, alertou Pimenta. “Uns interpelavam as mulheres do próprio bloco de forma mais ousada, outros jogavam um tipo de spray de espuma nos demais integrantes do bloco. Estamos alerta”, proferiu.

Em nota, o precursor dos black blocos na Vila, Paulo do Amaral, afirmou que o movimento é apartidário e que os integrantes que cometeram esses atos de vandalismo não representam a categoria.

Especula-se que essa seja uma tentativa do bloco em recuperar a imagem do movimento, que foi manchada depois do envolvimento de integrantes do Black Bloco em atos de vandalismo. Membros do grupo são acusados de urinar em agências bancárias e bancas de jornal.

Ainda com objetivo pouco claro, o bloco tem conseguido chamar a atenção dos Governos Estadual e Municipal e da Velha Guarda da Portela, que já expressou, por meio de seu porta voz, intenção de levar o black bloco para a Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro.