Berlusconi convoca Dilma para reunião de cúpula a dois em Veneza

Silvio Berlusconi chamou Dilma para um jantar e manteve o restante da agenda aberta.

A presidente Dilma Rousseff recebeu do embaixador da Itália no Brasil, Franco Pontilli, um convite formal enviado pelo premiê italiano, Silvio Berlusconi.

De acordo com Pontilli, o chamado é individual e representa as melhores intenções de aproximação do governo italiano com a nova governante brasileira.

O convite, que veio acompanhado de um belo buquê de rosas, convoca a presidente, solteira desde 2000, para uma reunião da cúpula ítalo-brasileira na romântica cidade de Veneza.

Na linguagem diplomática, o envio de flores pode ser considerado um gesto de provocação, mas pessoas ligadas a Dilma disseram que ela ficou bastante lisonjeada e já estaria escolhendo um vestido para a ocasião.

“Perguntei ao Berlusconi, se ele me chamou para discutirmos o caso do terrorista italiano Cesare Battisti”, contou Dilma em entrevista. “Ele disse que não. Parece que os temas debatidos serão mais amenos, mas ele prometeu me revelar apenas na Itália durante o passeio de gôndola”.

Esta é a primeira vez que o chefe de estado italiano convida uma presidente brasileira para conhecer a famosa Ponte dos Suspiros na cidade dos canais.

“Eu tive boas referências sobre este encontro”, relatou Dilma. “Falei ontem à noite com minha colega argentina Cristina Kirchner. Ela foi convidada por Berlusconi no final do ano passado”.

Cristina teria dito para Dilma não perder essa chance de conhecer Veneza e que o clima da cidade é perfeito para o estreitamento da relação diplomática entre elas e Berlusconi.

Dilma embarca para a Itália no próximo sábado.