Site de busca Altavista ameaça sair da China

O site Altavista possui 0,000000031% do mercado dos buscadores online na China.

O site de busca Altavista admitiu na manhã desta terça-feira a hipótese de encerrar suas operações em território chinês após identificar supostos ataques a seus servidores no país.

A empresa americana divulgou em seu IRC oficial que possui evidências de que seu serviço de pesquisas estaria sendo sumariamente boicotado pelo Golden Shield, o sistema de regulação de internet da China.

“Infelizmente não temos bancos de dados para registrar esses ataques, mas estou seguro de que desde 1997 nosso site está sendo atacado por hackers que impedem outros usuários de acessar nosso serviço de busca”, defendeu Guillermo Fermón, pessoa reponsável pelo Altavista.

A notícia da saída do Altavista surpreendeu os analistas financeiros. A empresa pretendia investir mais de 3 milhões de dólares na China para a criação de uma plataforma inédita de envios de cartões de aniversário por e-mail. “É uma pena que não possamos levar adiante um projeto tão inovador para o mercado chinês”, lamentou Fermón.

Com a iminente desativação de mais esse site, a internet chinesa sofre um grande baque. Os chineses passarão a contar agora com 17 sites, sendo 14 endereços oficiais do governo e mais 3 sites sobre dragões.

“Nós apoiamos o crescimento do Altavista em território chinês e não existem motivos para censurar ou atacar seu conteúdo”, comentou Ping Maipei, porta-voz do Grande Firewall da China. “O Altavista é um grande site cuja história se confunde com a tradição chinesa”, concluiu.

No final do ano passado, como tentativa de evitar o suposto boicote, o site Altavista.cn havia filtrado parte de seu conteúdo. Pesquisas por termos políticos ou pornográficos como “goatse” e lemonparty” estavam sendo redirecionadas para o buscador local Baidu.

Agora, com sua provável saída, todas as buscas do Altavista serão redirecionadas para a versão chinesa do site de pesqusia Lycos.